Home         Translations         About Us   
search  












 

O REINO DO CÉU

Desde o tempo de João Batista até agora, o reino do céu tem avançado vigorosamente, e grande é o número dos que com ansiedade e desespero apossam-se de sua verdade![1]

O reino do céu é como um agricultor que plantou boa semente em seu campo de trigo. Certa noite, quando o agricultor dormia, veio o seu inimigo e semeou joio no meio do trigo, e depois fugiu. Quando as primeiras folhas de trigo começaram finalmente a brotar do solo, as ervas daninhas também começaram a aparecer. Ao ver isto, os servos do agricultor vieram lhe dizer tristonhos: "Senhor, nós semeamos boa semente no seu campo? Por que então é que há tantas ervas daninhas?"

O agricultor respondeu: "Um inimigo deve ter feito isto."

"Devemos tentar removê-las?" Perguntaram os servos.

"Não," o agricultor replicou. "Se vocês retirarem as ervas daninhas, também arrancarão o trigo. Deixem que ambos cresçam juntos até o tempo da colheita; e no momento da colheita eu instruirei os ceifeiros: 'Recolham primeiro as ervas daninhas, e amarrem-nas em feixes para serem queimadas. Depois recolham o trigo nos meus celeiros.'"

Aquele que plantou a boa semente é o Filho do Homem. O campo é o mundo. A boa semente representa os filhos do reino, enquanto as ervas daninhas representam aqueles que foram enganados pelo maligno. O inimigo que plantou as ervas daninhas é o diabo. A colheita é o final dos tempos, e os ceifeiros são os anjos. Assim como as ervas daninhas foram ajuntadas e queimadas no fogo, assim também será no final desta era. O Filho do Homem enviará os seus anjos, e eles recolherão tudo que tem feito a humanidade tropeçar junto com aqueles que vivem desreguladamente fora do Seu reino, e os expulsará para um lugar de pranto e tormenta. Então os justos brilharão tal como o sol no reino de seu Pai. Se vocês têm ouvidos para ouvir, então atentem para estas palavras.[2]

Todo reino que é dividido contra si mesmo está condenado; e toda cidade ou casa dividida contra si mesma eventualmente cairá. Da mesma forma, se Satanás lutar contra Satanás, ele está dividido contra si mesmo. Como é que este reino poderá permanecer muito tempo?

Ninguém pode tirar nada do reino de Satanás sem primeiro amarrar Satanás. Se eu expulso demônios e faço sinais e milagres como aliado de Satanás, então com que poder os seus filhos fazem o mesmo? Deixe que eles sejam os árbitros: eles podem resolver esta questão para vocês. Se, entretanto, eu e os filhos de vocês expulsamos demônios pelo Espírito de Deus, então o reino de Deus terá vindo até vocês.[3]

Vocês nunca leram nas escrituras: "A pedra que foi rejeitada pelos construtores tornou-se a pedra angular; isto é obra do Senhor, uma maravilha aos nossos olhos!" Olhem, o reino de Deus será retirado de vocês que ouvem e não fazem nada, e será dado a um povo que se esforça para dar fruto em suas vidas.[4]

Atente para como vocês tratam esta mensagem: pois todos os pecados do homem podem ser perdoados, juntamente com todas as suas blasfêmias. Mas não há reconciliação para aqueles que, vendo o mal como o bem e o bem como o mal, blasfemam contra o Espírito Santo. Esta transgressão é eterna. Atentem para estas palavras: pois homens maus e prostitutas estão entrando no reino do céu na frente de vocês. Eles ouviram a chamada para a vida e voltaram-se para Deus. Homens piedosos, ao contrário, ouviram a chamada, e deliberadamente deram as costas.[5]

Não é por repetir, "Senhor, Senhor," que vocês entrarão no reino do céu, mas fazendo a vontade de meu Pai que está no céu.

O que aconteceria se você batesse à porta da casa de uma pessoa proeminente de sua cidade tarde da noite, após o dono da casa ter-se ido deitar? Você bateria com força e gritaria: "Abra a porta, eu quero entrar!"

O dono da casa responderia: "Vá embora, eu não conheço você."

Se você continuasse a protestar, "Mas nós comemos nos mesmos restaurantes, e eu o ouvi quando ensinava nas ruas," ele somente responderia, "Entenda de uma vez por todas; eu já disse que não conheço você. Deixa-me em paz!"

No dia do julgamento muitos virão dizendo, "Senhor, Senhor, mas nós profetizamos em teu nome, em em teu nome expulsamos demônios, e no teu nome fizemos muitas obras maravilhosas?"

Então eu terei de lhes dizer: "Saiam da minha presença, eu nunca conheci vocês. Vocês viveram a vida inteira a praticar o mal."[6]

Eu lhes ensino através destas parábolas porque vocês receberam o privilégio de conhecer os mistérios do reino do céu.[7]

Vou contar uma outra história para ilustrar o reino do céu: Certa vez havia um negociante rico, que estava se preparando para viajar para um país distante. Antes de partir ele reuniu os seus três sócios, e lhes pôs como responsáveis pela administração de seus investimentos enquanto ele estava fora. Ele deu cinco contas para um deles, duas contas menores para outro, e para o terceiro deu uma conta pequena. A cada um deles ele atribuiu responsabilidades de acordo com seus talentos.

O sócio que havia recebido as cinco contas começou imediatamente a comprar e a vender, e em pouco tempo havia duplicado os investimentos e já tinha dez contas. O segundo sócio fez o mesmo. Ele investiu as duas contas que lhe haviam sido confiadas, e também conseguiu duplicar seu valor. Mas o terceiro sócio era medroso. Ele pôs sua conta numa caixa, e enterrou-a debaixo da terra. Ali ele a deixou com medo de que ela se perdesse ou fosse roubada.

Muitos meses depois o homem rico retornou de sua viagem. Imediatamente ele chamou seus sócios para lhe prestar contas do que tinham feito com seu dinheiro.

O primeiro sócio contou como ele havia investido as cinco contas, e agora possuía dez. Quando ouviu isto o homem rico disse: "Você agiu muito bem e foi fiel. E já que você foi fiel com estas cinco contas, eu confiarei a você muitas outras contas importantes. Você pode começar a partir de hoje a desfrutar destas responsabilidades.

Então ele chamou o segundo sócio, que disse: "O senhor confiou-me duas contas; agora eu tenho quatro."

Ao ouvir isto, o homem rico repetiu aquilo que havia dito ao primeiro sócio: "Muito bem, você foi fiel na administração de duas contas pequenas. Eu vou-lhe confiar muitas outras. Vá desempenhar sua tarefa com alegria."

Finalmente, foi chamado o terceiro sócio. Ele disse: "Eu sempre o considerei um homem exigente. O senhor tira lucros do dinheiro dos outros, e eu achei que ia querer ficar com os lucros da minha pequena conta. Então eu a enterrei no solo, e a deixei lá até que o senhor voltasse."

A isto, o homem rico respondeu: "Você é um sócio tolo. Você sabe de que maneira eu faço negócios. Pelo menos podia ter posto o dinheiro no banco para render juros. Você tinha somente uma conta sob sua responsabilidade e escondeu-a na terra. Agora até mesmo esta lhe será tirada e dada àquele que agiu sabiamente. O que lhe resta agora senão sofrimento e arrependimento?"

No reino do céu, aqueles que usam o que possuem, mesmo que pareça insignificante, continuarão a receber cada vez mais, e terão em abundância; mas aqueles que agem com medo, ou são desleais mesmo nas mínimas coisas, um dia perderão tudo.[8]

Um outro exemplo pode ser tirado da história do dono de terras que saiu cedo certa manhã para contratar trabalhadores para a sua vinha. Ao encontrar trabalhadores capacitados, combinou com eles um salário de uma moeda de prata por dia. Depois enviou-os para a sua vinha.

Naquela mesma manhã, mais tarde, cerca de nove horas, ele retornou à cidade, e vendo um grupo de homens desempregados na praça, disse a eles: "Vão trabalhar na minha vinha, e eu lhes pagarei um salário justo."

Ao meio-dia, o dono das terras voltou à cidade, e depois outra vez às três da tarde, e cada vez contratava homens desocupados para trabalhar na sua vinha. Finalmente, por volta das cinco horas da tarde, ele foi pela última vez à cidade. Lá encontrou alguns vagabundos que ainda estavam desempregados. Ele lhes perguntou: "Por que vocês ficaram aqui sem fazer nada o dia inteiro?"

Eles responderam: "Porque ninguém nos empregou."

Ele disse: "Andem logo, eu ainda tenho trabalho para vocês na minha vinha."

Quando caiu a noite, o dono das terras disse ao supervisor da vinha: "Chame os trabalhadores da vinha e dê-lhes o seu salário, começando pelos últimos até chegar aos primeiros que eu contratei hoje."

Aqueles que haviam sido empregados às cinco daquela tarde apresentaram-se, e cada um recebeu uma moeda de prata. Ao ver isto, os que haviam sido empregados mais cedo naquela manhã pensaram que receberiam mais. Quando vieram se apresentar, entretanto, também receberam uma moeda de prata cada um.

Imediatamente eles começaram a reclamar com o dono da terra: "Os que foram contratados no fim desta tarde mal trabalharam uma hora, e o senhor lhes pagou o mesmo salário. Nós é que fizemos a maior parte do trabalho durante as horas mais quentes do dia."

Mas o dono da terra lhes respondeu: "Amigos, eu não tratei vocês injustamente. Vocês não concordaram com um salário diário de uma moeda de prata? Então peguem o que lhes pertence e sigam seu caminho. Eu decidi pagar aqueles que foram contratados ao final do dia o mesmo salário que vocês. Não tenho eu o direito de fazer o que bem entendo com o meu dinheiro? Será que os olhos de vocês estão cheios de inveja porque vêem que eu estou sendo generoso e bom?"

Esta também é uma parábola sobre o reino do céu; porque eu lhes digo, os últimos serão os primeiros e os primeiros serão os últimos. Muitos são chamados, mas poucos escolhidos.[9]

O reino do céu é como um tesouro que estava enterrado num campo. Certo dia, um homem o descobriu. Imediatamente ele o enterrou de novo. Alegremente, ele vendeu tudo o que possuía, considerando isto como um pequeno sacrifício para poder comprar aquele campo.[10]

Aqueles que entram no reino do céu não permitiram que nenhuma preocupação terrena os impedisse. Tal como o comerciante que tentou sua vida inteira encontrar a pérola de grande preço, eles alegremente sacrificaram tudo para poderem apossar-se de tal tesouro precioso - uma nova vida, uma nova maneira de pensar, esperança neste mundo e no mundo porvir.[11]

O reino de Deus avança conforme o plano divino. O lavrador planta sementes em seus campos, e quando seu trabalho está concluído ele vai se deitar. A cada novo dia ele se levanta e trabalha até o escurecer. Enquanto isto, o processo natural se inicia, as sementes brotam e começam a crescer, um fenômeno tão complexo que vai além da compreensão do lavrador; primeiro aparece uma tenra folha, depois uma espiga de milho, depois o grão maduro, até que finalmente o lavrador pega a sua foice, porque chegou o tempo da colheita.[12]

O reino do céu é como uma semente de mostarda plantada num campo. Apesar de ser uma das menores sementes que existem, ela transforma-se em uma grande planta, ficando quase tão alta como uma árvore, um lugar onde os pássaros podem pousar e encontrar abrigo. É como uma pitada de fermento que a pessoa usa para fazer pão. Mesmo quando é misturado a uma grande quantidade de farinha, ele leveda cada parte da massa.[13]

Finalmente, o reino do céu pode ser comparado a uma rede de pesca que é lançada na água e apanha todo tipo de peixe. Quando a rede está cheia, os pescadores arrastam-na para a margem. Ali, eles recolhem os peixes bons em cestos, e jogam fora os peixes ruins. Assim também será no final dos tempos. Os anjos virão e separarão os homens maus dos filhos de Deus, lançando os maus no fogo, um lugar de sofrimento e dor.[14]

Eu enviei vocês para abençoar outras pessoas, sem depender de bens materiais, dinheiro, ou ajuda de ninguém. Vocês já passaram por necessidade alguma vez? Não se preocupem com o dia de amanhã, pois o amanhã tomará conta de si mesmo. Verdadeiramente, o dia-a-dia já traz preocupações suficientes para que fiquem ainda ansiosos sobre o futuro. Quem de vocês pode, através do esforço mental, acrescentar uma polegada sequer à sua estatura?[15]

Olhem para os pássaros no céu; eles não ficam a voar preocupados! Eles não ficam acordados até tarde da noite pensando no dia seguinte, pois o Pai celestial garante-lhes o alimento. Será que vocês não sabem que Ele cuida de vocês assim como cuida dos pássaros?[16]

Um par de pardais é vendido na feira por apenas alguns centavos? Ainda que sejam tão insignificantes, nenhum deles cai ao chão sem que o Pai celestial o saiba! Portanto, parem de ter medo. Vocês têm muito mais valor do que dezenas de pardais juntos. Até os cabelos de suas cabeças estão contados.[17]

Por que ficam preocupados com o que vão vestir? Olhem para os lírios silvestres que crescem no campo. Eles crescem naturalmente, sem nenhum esforço. Nem mesmo o Rei Salomão em toda a sua glória se vestia com tanta beleza quanto uma destas flores. Se Deus cuida tão bem de tudo que cresce no campo, que nasce num dia e no outro é usado como lenha, será que ele não vai cuidar muito mais de vocês? Como é que vocês podem ter tão pouca fé?

Portanto, parem de dizer: "O que vamos comer? O que vamos beber? Será que teremos roupa suficiente para nos vestirmos?" Esta é a maneira de pensar dos incrédulos, sempre ansiosos. Não se preocupem! O Pai celestial sabe que vocês precisam de todas estas coisas e muito mais.

Busquem primeiro o reino de Deus e sua justiça, e todas as suas necessidades serão supridas.[18]

O MANDAMENTO REAL

O mandamento mais importante de todos é este: Amem o Senhor seu Deus de todo o seu coração, com toda a sua alma, e com toda a sua mente, e com todas as suas forças.[19]

Que o segundo mandamento seja: Amem o seu próximo como a vocês mesmos.[20]

Este é o meu mandamento: que vocês amem uns aos outros como eu amei a vocês! Não há mandamentos maiores do que estes. Ninguém possui maior amor do que aquele que está disposto a entregar sua vida pelos seus amigos.[21]

Qualquer pessoa que desobedeça mesmo o menor destes mandamentos, será o menor no reino do céu. Mas quem quer que os cumpra, e ensine a outros a alegria de seguí-los, será considerado grande no reino do céu. Eu tenho dito a vocês todas estas coisas para que a minha alegria permaneça com vocês, e para que a alegria de vocês seja completa.[22]

Certamente vocês já ouviram dizer: "É natural amar ao próximo, e odiar o inimigo."

Mas eu digo, amem os seus inimigos. Abençoem aqueles que os amaldiçoam. Façam o bem àqueles que os odeiam. Orem por aqueles que desprezam e perseguem vocês. Ao fazer isto vocês se tornarão filhos do seu Pai que está no céu: porque Ele faz o sol brilhar sobre o perverso e o sobre o bom, e manda chuva para o justo e o injusto. Se vocês somente amam aqueles que amam vocês, qual é a vantagem disto? Até os corruptos comportam-se desta maneira. Se vocês somente são hospitaleiros para com os amigos, que recompensa isto terá?[23]

Pelo contrário, amem uns aos outros assim como eu amei vocês. Ao fazer isto, todo o mundo verá que vocês são meus discípulos, porque estão cheios dum amor sem egoísmo. Não se deixem enganar; se uma pessoa realmente me ama, vocês vão reconhecer. Essa pessoa viverá a sua vida de acordo com as minhas palavras; será honrada pelo meu Pai, e abençoada pela comunhão da Sua presença. Se vocês ouvirem o que eu estou a dizer e puserem em prática e me amarem, meu Pai e eu amaremos vocês. Nós viremos e faremos nossa habitação dentro de vocês, no íntimo dos seus corações.[24]

O meu Pai ama vocês porque vocês creram em mim, e creram que eu vim de Deus. Continuem neste amor. Guardem as minhas palavras e vocês viverão neste amor; eu guardo os mandamentos de meu Pai, e fazendo isto permaneço em Seu amor.[25]

Um certo homem estava viajando de Jerusalém até Jericó. No caminho ele foi atacado por ladrões, que lhe tiraram as roupas, bateram nele, e deixaram-no quase morto. Por acaso, um sacerdote estava passando pelo mesmo caminho. Mas quando viu o pobre homem, atravessou para o outro lado da estrada.

Pouco depois, um homem religioso passou por ali. Ele olhou a vítima com desprezo e foi embora correndo.

Finalmente, um Samaritano, um homem que era menosprezado por sua raça, aproximou-se. Quando ele viu o homem ferido, imediatamente teve compaixão dele, e, rasgando em tiras o seu próprio abrigo, atou suas feridas, umedecendo-as com óleo e vinho. Depois ele colocou o homem cuidadosamente sobre a sua mula, e levou-o para uma estalagem. Ali ele fez tudo para que o homem fosse bem cuidado.

Na manhã antes de partir, ele pagou o dono da estalagem, e disse: "Cuide dele; e quando eu voltar, eu pagarei todos os seus gastos."

Qual destes três vocês acham que foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos ladrões?

Vocês devem ir e viver as suas vidas fazendo o mesmo que o bom homem de Samaria fez.[26]


[1] Mateus 11:12.

[2] Mateus 13:24-30, 37-43.

[3] Mateus 12:25-29.

[4] Mateus 21:42, 43.

[5] Marcos 3:28, 29; Mateus 21:31, 32.

[6] Mateus 7:21; Lucas 13:25-27; Mateus 7:22, 23.

[7] Lucas 8:10.

[8] Mateus 25:14-30.

[9] Mateus 20:1-16; 22:14.

[10] Mateus 13:44.

[11] Mateus 13:45, 46.

[12] Marcos 4:26-29.

[13] Mateus 13:31-33.

[14] Mateus 13:47-50.

[15] Lucas 22:35; Mateus 6:34, 27.

[16] Mateus 6:26.

[17] Mateus 10:29, 30.

[18] Mateus 6:28-33.

[19] Marcos 12:29, 30; Deuteronômio 6:4.

[20] Marcos 12:31; Levítico 19:18.

[21] João 15:12, 13; Marcos 12:31.

[22] Mateus 5:19; João 15:11.

[23] Mateus 5:43-47.

[24] João 13:34, 35; 14:23.

[25] João 16:27; 15:9, 10.

[26] Lucas 10:30-37.

 
 


 

 
Send a friend an email telling them about The Words Site:

Friend's Name:   Friend's Email:   Your Name:  

Home | About Us |

THE WORDS IS COPYRIGHT-FREE. Permission to duplicate The Words applies to all audio
narrations and/or video on this site. Site Design Copyright ©2003 The Words, all rights reserved.
Site design by Prime Web Design